sábado, 20 de dezembro de 2008

Derrota

A lua tem um leve tom vermelho hoje
Um leve tom de sangue
Um leve toque de solidão

Hoje, apenas por hoje...
Sinto o gosto de escolhas erradas
O cheiro do fracaso
Por hoje...

Uma leve melancolia
Como se algo faltase
Como se algo realmente importante estivese perdido
Hoje estou perdido
Orgulho ferido
Rosto escondido

Hoje nem mesmo o vento move meus sentimentos
Nem mesmo o mar me tras paz
Hoje estou sem meu dragão

Sem magia...
Sem coração
Sem minhas asas...

Ao som de Bolero de Ravel

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Trabalho




A roda do tempo volta a girar
O ciclos recomeçam a andar
Nada para
Nada dura
Nada é etherno
A roda do tempo volta a girar

A carruagem do crepusculo tem de partir
Um novo ciclo começa
Novas cicatrizes viram
Novos sorrisos falsos
Novos desafios
Asas abertas
Coração abandonado
Mentiras doces
Olhos fulgases...

--------------------------

O campo de batalha a minha frente a perdição as minhas costas, não há para onde ir alem de enfrente




Finalmente segunda começa o curso de formação de praças da PM CE

Para passar o minha ultima sexta de folga resolvi trabalhar, ou melhor precisei e um pastor conhecido meu (que jura que eu sou protestante e quase fánatico) me chamou para instalar um novo sistema de som no local onde eles fazem orações, igreja, seja la o que eles chamam... Só não gosto desses trabalhos porque normalmente para pastores tem de se trabalhar o tempo todo de roupa social...
Na metade do trabalho tiro a camisa e o sapato para terminar o trabalho mais rápido sem suar a camisa. Trabalho terminado instalo a mesa de som, os instumentos e vou testar a guitarra... Ainda sem camisa, sem sapato e com a calça com o botão aberto, ela é meio apertada... Enquanto eu me empolgava tocando my imortal me aparece a banda da igreja... Acabei tocando algumas musicas... A vocalista tinha lindos olhos castanhos estava de vestido amarelo e por algum motivo ainda sorria pra mim...

O lider da bando e por sinal unico homem, me chama para tocar amanhã a noite na missa... Quando entra...
Um sujeito de calça dins rasgada e uma camisa com a inscrição Fuck my Jesus, com a foto de uma freira nua com o crusifixo bem localizado cantando
"Mulheres vulgares, uma noite nada mais
Mulheres religiosas eu so ¨&*$ por tras..."

Enquanto a banda vai conversar com o herege.
Saindo pela direita indo falar com o pastor, pegando o dinheiro e esperando o primo mal do lado de fora...
Que por sinal achou que estava no paraiso sendo cercado por 4 anjos... Palavras dele ai ai...

Não sei se ela estava sorrindo, mas foi divertido, acho que sempre posso contar com o Augusto para complicar as coisas...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A bravura só pode ser encontrada no coração do guerreiro...


Te amo mas não sei como ou se devo te dizer
Te amo
Sim amo e realmente não espero ser correspondido
Apenas desejo não lutar
Ficar longe...
Por que?...
Quem sabe medo.
Medo de ser correspondido
de perder o controle de sofrer de novo
Medo de você dizer que estou mentindo
Sei que sou um tolo...
Você ja deu sua resposta...
Você sa disse não
Mesmo assim , não consigo
Não acariciar seu rosto...
Não ddejar seu beijo

Texto antigo... Sempre que o leio acabo reescrevendo certas partes, mas ainda não esta bom...

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Cruzando o caminho da carruagem do amanhecer

Respota aos comentários anteriores:
Não, não sorri de volta...


Protegido pela noite,
Gritando ao vento...
Vi uma face minha que não conhecia
Vento... Que me sussuras poemas de alguém...
Que é passado

Como uma eterna espedida
Ele continua sussurando
Sussurando sobre o sofrimento
De alguém que ja se foi

Na pureza da noite que ainda não foi manchada com a luz
Cruzando as areias do tempo, manchadas de vermelho
Cruzando as areias do tempo, manchadas de vilipêndio
Cruzando a noite em compania da solidão...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Caminhando

Olhos castanhos
Ropa amarela... Sorriso cativante. Ela sorrio,
Por que? Não sei...
Mas o que sei é que sempre tem um porque... Sempre...
Lembro dela sorrir... Me comprimentar com a cabeça...
Andar alguns metros... olhar para traz e sorrir denovo

Ainda não sei o que significa.
Por que ela sorrio?
Por que olhou pra tras...
Isso vai dar em alguma coisa?
Eu estou só imaginando???
O que eu sinto... isso eu sei. Provavelmente tezão, ou simplesmente nada.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Evangelizadores

Sem poesias apenas um relato...
Apos uma longa espera finalmente consegui tempo para terminar de ler "O Glorioso Apareceimento" o 12 livro da serié Deixados para traz, mas meio mundo resolveu me encher o saco. Ou me aparece uma protestante afim de discutir religião, ou me aparece um catolico meio esquentado para falar mau do livro, ou aff, consegui me ver entre uma catolica e uma protestante e as duas em uma idiscursão religiosa fervorosa e eu no meio...

- Serio, vocês duas dizem que Deus é perfeito ok, e que ele criou o homen a sua imagem e semelhança, certo? Então ou ele é um otário pois é perfeito logo não erra, mas ele criou o homem a sua imagem e semelhança e o homem é inperfeito logo ou ele errou e é imperfeito ou ele é imperfeito e não errou.
Agora se me dão licença.
- Não. Você esta blasfemando...
- Eu. Tá cê vão acender a fogueira e me queimar como é de costume da religião de vocês ou vão ser humildes e admitir que vocês não tem uma resposta melhor que mandar eu ter fé?

Três tentativas de tabefes depois consegui ir embrora para um lugar tranuilo para tentar terminar de ler...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Xadrez

Mais uma vez perante o tabuleiro
Mais uma vez um mero jogo
Mais uma vez a aposta é a maxima

Me sinto como um peão em meu proprio jogo
Quem sabe realmente o seja
Quem sabe um peão de miim mesmo

Me sinto jogando pelo o que quero hoje
Contra mim mesmo pelo o que quero amanhã

sábado, 6 de dezembro de 2008

Dia qualquer

Um dia qualquer
Um dia a mais
Longe de ti
Longe de mim

Um coração há muito perdido
Esperanças há muito despedaçadas
Apenas um dia qualquer

Sonhos esquecidos
Caminhos seguidos
Planos traçados
Sorte testada

Forças em colisão...




A partir do dia 15 entro na academia militar... Etão dois disso acho que vai se comlicado ser achado...
Se quiserem me achar... luposnegrun@hotmail.com

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Mar e por do sol

Então de novo no mar
Então de novo aqui
Então de novo o por do sol a minha frente
Então de novo a noite as minhas costas

Por que?...
Ainda fico aqui pensando em você
Um cigarro aceso denuncia meu humor
Meu olhar minha solidão...

Os dias passaram
Os anos
Deixei de falar...
Mas ainda penso em você

Deixei de ser o que você ama...
Mas ainda sou seu
Deixei de ser o que você me ensinou
Mas ainda sigo seu desejos...

Deixei você em meu passado
Em minhas lembranças...
E comecei a finjir, que não amo você

Texto inacabado

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Adeus

Adeus meu amor.
A hora chegou
Eu devo ir
Adeus

Adeus, não se irritará mais comigo
Com meu silêncio
Com o as minhas fugas
Com meus olhos tristes

Eu irei...
Acho que dessa vez não nos veremos mais
Tô sainda da faculdade
Tô saindo dessa biblioteca
Estou saindo da sua vida...

Não isso ja fiz há alguns meses...
Mesmo assim nos viamos
Mesmo assim o silêncio falava por nos
Mesmo assim seus olhos me chamavam

Dessa vez acho...
Não verei mais seus olhos...
Não serei mais visto...

Olhe o lado bom sei que odeia o jeito como jogo a mochila nas costas apenas com uma mão. O jeito arrogante como ajeito meus oculos, ou o jeito , cão pulguento como você fala, que eu coço minha nuca... Não vera mais...

Apenas deixe o tempo levars nossas lembranças... Ele é bom nisso...

Dragão:"Por que os dragão jovens sempre esquecem que não controlam o proprio destinos"

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Caminho do V3nt0

Esse é meu caminho
Esse é meu ser...
Sou como o vento
Sou cria dele...

Nada pode me deter
Nada pode me parar
Sou aquele nada leva de si

Sou aquele que deixa de existir se parar
Sou a detruição do furacão
Sou o caminhante da tempestade
Sou o resto do tudo e o começo da nada

Sou o Vento

Texto inacabado

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Amanhecer no mar

Por algum motivo
Sempre
Sempre que bebo tequila
Acordo assim

Sem mim.
Sem lar...
Como um bebado qualquer
A beira do mar

A cabeça nuca reclama
Mas a barriga...
Alguns amigos estirados na areia ha alguns metros. Uma garrafa de tequila na mão e uma fome digna de um dragão...

Ainda bem que o vestibular é só amanhã diz o motorista...
Alguém reclama... hoje já é amanhã anta...

Som de carro cantando pneu, um motorista sumindo na estrada e eu tentando saber aonde estou????

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Traição

Trai a mim
Aos meus amigos
A minha convicções
A minha honra

A tudo
A todos
A ti
A mim

Me tornei o que mais odiava
Me tornei o que mais repudiava
E hoje...

|Um hacker que vira um policial... Nada me enoja mais que isso...|

sábado, 15 de novembro de 2008

Dias

Nem sempre me machuco ao ouvir sua voz
É tarde de mais...
Não consigo te esquecer
É tarde... A sorte esta contra mim.

Escolhi o caminho que precisava ser trilhado
Não me arrependo. Nunca me arrependo...
Escolhi fazer minha estrada...
Escolhi deixar minhas marcas
Nos corpos dos meus inimigos

Agora me vejo sozinho
Como sempre...
O preço por ser o melhor
É a solidão...

Dragão: E esse vazio ao pensar em você

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Passado (Ontem)

Então me ditraio com o por do sol
Em um banco qualquer do patio da faculdade
Você aparece... Olhando pra mim...
Meu erro como sempre... Olhar para seus olhos

Seus olhos com medo
Minhas mão com receio
Você sentou ao meu lado...
Por algum motivo estranho as horas se passaram
Entre nosso silêncio, entre nosso olhar

Minha mão em direção ao seu rosto
Um leve tocar
Seus olhos em direção ao passado
Um leve suspirar...

Um despedida silênciosa...

Dragão: Para uma conversa sem palavras

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Passado 05

Lembro dos dias...
Dos sorrisos...
Da esperança...
Do leve tocar de mãos

Da minha mão em sua nuca...
Do beijo que nunca aconteceu...
De nos dois estudando...

Do seu sorriso de menina...
Sempre fingindo raiva, enquanto eu fingia estar domindo...
Então minha mão em sua cintura...
Então seus olhos nos meus...
Então um não...

Dias se passaram, então resolvi manter a unica coisa que me restará. O orgulho...
Lembro dos seus olhos iluminados pelo sol. Da triteza que senti ao dizer adeus, da sua confusão, como quem esperace a resposta...

Lembro de andar no sol... Lembro de esta sozinho...
Ainda estou sozinho

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Passado 04

Então sozinho
Então nada importa.
Então a solidão começa a doer

Me lembro dos dia devagar...
Me lembro de não te olhar
Me lembro de me afastar...

Então um dia paramos...
Nos olhamos...
Descobrimos o quão tolos somos
Você finjindo raiva, porém triste...
Me pergunta o Por que?
Eu respondo...
Cuidado com o que desejas...
Podes acordar um dia e ver que se tornou realidade...

Nos sorrimos...
Ficamos muito tempo nos olhando...
Tentando saber como recomeçar...

Cometi um erro aquele dia...
Cometi o erro de olhar em seus olhos e voltar para seu lado

Dragão: Será a esperaça uma benção ou uma maldição

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Passado 03

As coisas se tornaram mais confusas
então amigos...
Então inseparáveis...
Então um complementa o que o outro pensa

Você a me olhar com aquela finjida raiva
Que se diverte ao me ver cochiar na aula
Eu com meu jeito de não ligar...
Comeso a me apaixonar...

Então como tolo me confeço, como um tolo sou rejeitado
Como alguém com orgulho você diz para eu me afastar
Eu pergunto:
-É o que deseja?
A resposta:
-Sim
-Que assim seja, concederei su desejo...

Dragão: Tolo, orgulhoso... Mesmo assim grandioso....

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Passado 2

Os dias se pasaram lentamene...
Dias de te observar...
Dias de puro contemplar...
Então um dia qualquer
Nos esbarramos...
Conversamos

Decidimos estudar juntos ainda aquela noite
Então você na minha casa... Simplesmente linda
Então sua tristeza...
Você queria apenas esquecer algo...
De certo modo conseguio.
Você rium se divertiu, chorou...
Mas não transamos, ou sequer nos beijamos

Não queria assim... Quero alguém que me queira...
Não alguém que quer apenas esquecer....

Dragão: Seu orgulho é o que faz mais interessante. Porém mais tolo, embreve se arrependerá...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Passado 1

Lembro bem... A dor de cabeça... O corpo deitado em uma cadeira... As pernas na mesa... O rosto maltratada do noite mal dormida... Lembro bem...

Você passando, eu meio que sonhando
Seus olhos verdes... Seu cabelo ao vento
Um jeito diferente de andar...
Simplesmente um tolo encantado...
Lembro de rir, fingindo indifereça

Lembro de ouvir seu nome ainda aquele dia
A melhor do curso, a nota mais alta...
Quem diria, simplesmente linda e inteligente...
Acho que o sorriso ja não parecia indiferente


Aquele que finge que não ama você

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Ash like snow

O céu é tingido em vermelho pelo escuridão do ébano,
As estrelas foram engolidas
Como em uma pilha frágil, nesta nese cinzenta

Eu olhando aos prantos na janela
Eu nunca sonhei
Está frio
Eu venho até você

Meus pensamentos subiram e se quebraram na distância
Solitário no céu noturno
Porque cada vez que o mundo muda
Algo precioso se quebra
E se perde

Uma musica que me faz pensar...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Silêncio e Despedidas

Então seus olhos procuram os meus
Então meus labios a sua busca
Então nos dois ali
Parados

Não acreditando
Porém olhando
Não acreditando
Porém caminhando
Não acreditando...
Mas já nos beijando...

Que estranha cena, tão rápida quando comçou
Cessou...
Um adeus no silêncio...

O que falar? O que fazer?
Tão rápido quando nos aproximamos...
Nos afastamos... Seguimos nosso caminho...
Perguntas... Perguntas em silêncio

Às vezes, - disse o dragão docemente, - não existem respostas

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Noites

Noites de livros e solidão
Noites de pergaminhos e exatidão
Noites. Apenas noites

Sem nada mudar.
Sem nada acontecer
Apenas o tempo a parar
Apenas o dia a anoitecer

Dias...
Noites...
Sem você...

"Palavras de quem finge que não ama você"

sábado, 30 de agosto de 2008

Continuando

Caminhando entre livros.
Trilogia Fronteira do Universo, Orford de Lyra, A caverna dos Magos e atualmente lendo A menina que roubava livros

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Tentação

E pensei: será que vai ser melhor para alguém se eu voltar direto para o meu
hotel, disser minhas orações, me confessar ao padre e prometer nunca
mais voltar a cair em tentação? Será que alguém vai se tornar uma
pessoa melhor se eu tornar minha vida miserável e infeliz?
"E a resposta veio: não. Ninguém vai ficar melhor. Não há ninguém
para se atormentar, ninguém para condenar, ninguém para me abençoar
por ser uma boa moça, ninguém vai me punir por ser má. O céu estava
vazio. Eu não sabia se Deus tinha morrido, ou se Deus nunca tinha
absolutamente existido.


------------------------------------
— Foi difícil deixar a igreja?
— De certa maneira foi, porque todo mundo ficou decepciona
do. Todo mundo, da Madre Superiora aos padres e a meus pais.
Ficaram tão aborrecidos e me censuraram tanto. . . Eu sentia que algo
em que eles todos acreditavam fervorosamente dependia de que eu
continuasse a fazer algo em que eu não acreditava.

(Phillip Pullman um dos maiores autores que já esbarrei em um estante
qualquer esse texto vem do livro A Luneta de Âmbar, já estou lendo o 5
livro seguido dele e pelo visto vou ler todos que ele lançar... )
--
"K"

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Dias de Dor

Hoje é um dia de dor

Hoje. Só um dia qualquer

Hoje sou uma coleção de espadas quebradas

Hoje. Sou uma coleção de dias fracassados

Como no dia que te conheci

Sabia que era feliz

Como no dia que nos despedimos

Sabia que só voltaria a ser feliz com você...

Com você deixei meu coração

Com você deixei meus medos

Com você deixei minhas esperanças

Com você deixei o que era de bom em mim...

Já não sei o que sou

Por onde ando

Ou para onde vou...

terça-feira, 29 de julho de 2008

Ponte

Alguém em uma ponte que adentra o mar
Alguém em uma ponte que adentra o passado
Alguém em uma ponte que adentra a solidão

Então o silêncio falou mais alto
Então não existia mais palavras
Apenas seus olhos nos meus

Lágrimas que falavam
Lembranças que choravam

Tudo que se foi
Tudo que não foi.
Tudo que não será...

As palavras perderam o significado
Não havia nada a se dizer...

O crepúsculo se despediu
A noite nos saudou...
Minhas mãos as suas buscou...

Mas sua imagem evanesceu
Finalmente efeito da bebida passou
E mais uma vez
Sozinho na ponte que adentra o mar...
A consciência perdeu

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Garoto na janela.

Então hoje vi um garoto na janela...
Deitado olhando para um teto de nuvens
Nuvens que tão bem o conhecem
Que viram seus sonhos
Seu erros
Seus medos...

Vi um garoto com vergonha do que fora.
Com magoa do que é...
Com medo do que será...
Olhando nuvens
Visando precipicios
Sendo observado por eles...

O vi em pé...
Braços abertos... Vento no rosto
Precipitando-se a frente
Indo ao abismo...
Há... Que pena. Realmente achei que valia a pena ter te conhecido...
Mas como me disse uma vez...
FB

"Alguém tolo o bastante para desistir de lutar...
Não valia a pena nem ter conhecido..."

Apenas acordo ainda deitado na janela...Suado ainda buscando sua voz...

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Solidão

Caminhando entre brumas
Andando sobre nuvens
Cavalgando tempestades...

Apenas andando sozinho envolto em pensamentos...
Alguns tristes
Outros sem nexo
Muitos paradoxais
Quem sabe...
Apenas sozinho olhando pro tempo

terça-feira, 8 de julho de 2008

O que?

O que você faria?
Se pudesse enxergar o que quisesse
Sempre saber a verdade
Sempre vencer

Nunca perder. Sempre ler os pensamentos alheios
Nunca perder um briga
Nunca ser surpreendido
Nunca mais ser humano?
O que você faria?

Todas as respostas
Todas as perguntas

O que você faria...
Se ao olhar em sues olhos
Só enxergasse o demônio que habita em você???

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Perdido

As vezes me sinto perdido
Sem caminhos
Sem direções
Sem sentido
Sem destino
Sem um ninho

Sem ter para onde ir
Sem ter para quem voltar
Quem sabe apenas perdido
Quem sabe...
Quem sabe você seja a resposta...




Feiticeira Branca...
...
Pois te amar é trair a tudo que me cerca... A todos que me amam
Não te amar é trair a mim mesmo

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Descaminhos

Então de volta a meus sonhos
Então de volta a minha alma
Então e volta
Onde nunca saio

- Sempre serei sua. Basta vir a mim, basta me tocar...

Então acordo
Não sabendo se você veio a mim
Ou se sonhei com meus proprios desejos...
Quem sabe os dois
Ainda lembro de minha mão estendida no ar. Esperançosa de encontrar seu corpo... No vazio da minha alma
Quem sabe algum dia Feiticeira Branca

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Fim

Então o fim do que nunca começou
Então o fim do que não aconteceu
Então o fim, pois bem sei. Só eu amei

Fim. Fim de uma amizade
Sem sentido
De uma cumplicidade
De seus desabafos em meu ouvido

Fim de meus sonhos nunca compridos
Ao seu lado
Fim de poemas
Não declamados

Fim do que nunca foi
Fim de tudo e de nos dois


Esse poema é para uma história que escutei e que me fez pensar... Alguém que correu atraz de outro alguém por muito tempo e nada consegui alem de uma amizade que só o machucava então. Ele partiu para longe de si mesmo...

terça-feira, 17 de junho de 2008

Viagens

Então longe de tudo.
Longe de mim
Longe de ti
Longe do que somos juntos

Porém
Mesmo na mais densa escuridão
Não consegui te esquecer
Entretanto
Nem de fronte as luzes da cidade visto da estrada
Consegui não lembrar de você

Nem mesmo meus sonhos foram abrigos
Nem mesmo meus pesadelos foram solidão.

Quando fugimos. Ainda levamos nossos corações, nossas dores, nossas magoas, nossas fraquezas. Quando vamos em frente e abadonamos nosso passado por mera escolha, quem sabe ele nunca mais se mostre. Mas se por vergonha ou por fuga. Ele sempre volta. Seja em uma musica, um sentimento, uma lembrança. Por melhores que sejamos em mentir nos nunca conseguimos fugir de nos mesmos

sexta-feira, 13 de junho de 2008

New Dragon

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Um lobo e a Lua

Então só
Finalmente só.
A solidão a me guiar
O silêncio a me acompanhar

Nada de sentimentos
Nada de emoções
Nada de nos
Nada...

Forjado em dor e solidão
Esse é o caminho dos lobos negros...
Esse é o caminho que escolhi.
Esse é o preço da liberdade



Em frente ao oceano. Em frente a solidão
De costas para luna...

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Solidão

Há dias que simplesmente estou cansado
De tudo ao meu redor
De tudo dentro de mim
Há dias simplesmente de cansaço

Que eu quero apenas colo e cama...
Há dias como esse. Que só tenho vontade de ti abraçar
Ficar sentindo o cheiro de seu cabelo.
Sentir você em meu peito.
Meu mindinho no seu.
Ficar apreciando o tempo passar.
Saber que não estou sozinho...


A noite longa a minha frente. Apenas tristeza e solidão.
Por quê? Quem sabe?
Uma menina de olhos de jade bate a minha porta... Ela sabe que eu preciso...
Talvez não saiba que não é dela que preciso...
Mas sabe que essa noite não quero. Não posso ficar sizinho

Ainda estarei sozinho ela ao meu lado ou não...

Estranho. Escolhi o caminho dos dragões. Nunca ser pego olhando para traz, nunca implorar, nunca me importar. Simplesmente prever o que vai acontecer sempre saber a verdade. Mas sempre que penso em você me vem o desespero. Vem-me a vontade de mandar tudo pro inferno e ir ao teu encontro, mesmo sabendo que o que vai me dizer destruirá o resto do que chamo de coração... A noite, meu único refugio, meu único lugar de descanso, minha fortaleza. Só me faz lembrar da sua ausência que sempre me acompanha. Tcsz não posso chorar... Ainda não sou humano o bastante para isso. Se escolhi o caminho dos dragões, que eu seja um dragão até o final...

(Obs: Quem se acha cristão ler-se dragão = demônio, para todos os outros dragão é igual a dragão mesmo...)

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Dias

Há dias como o de hoje...
Que se passam em camas...
Que se passam devagar...
Quem sabe acompanhado, pela gripe. Achiiiiiiiim
Quem sabe sozinho...
Quem sabe nem tão só...

Hoje alguém mostrou que gosta de ficar cuidando de mim...
Seja saudável ou doente...
Quase achei que preferiam doente, sabe quela coisa mais caseira, gosta de cuidar sabe. Aquela coisa assim o que maes fazem com filhos ou esposas com maridos. Ui... Mas deve ser só paranoia... Ou pelo menos e melhor que assim seja...

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Praia

OBS: Texto longo
Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde.
Mas não há poesias ou motivos para ler... Não vale a pena ler se não ler antes Mar


Água quente... um alivio para um corpo cansado... Quem se importa... O trabalho me espera... Mesmo achando o desta noite meio idiota... Mas quem paga tem razão... Não, não tem más se pagar bem...
Normalmente usaria um terno preto, mas uma praia com certeza não combina com um terno. Uma camisa branca, uma calça leve, uma sandalha... Uma faca na perna.

A garota ainda passa mão pela parte da cama onde outrora estava meu corpo. Isso me parece familiar... Quem sabe...
---
Sério, o hotel tem mais de 12 motos para alugar... "Bom funcionário" me vem com um cavalo? Que seja não faz diferença para onde vou. Coração sagrado, que nome para um cemitério...

Há muito construíram um cemitério perto de uma vila de pescadores... A vila cresceu e o cemitério foi abandonado, o mar envaido a vila e depois de algum tempo o próprio cemitério, então em algumas noites, quando a maré esta muito baixa ele reaparece... Um bom conto de fadas.
Vou a galope rápido ou corrida o animal é lento, faz muito esforço mas é lento, de todo jeito é divertido. De um lado a vila que cresceu, virou cidade, esse paraíso para turistas, barulhenta, lasciva. Do lado oposto o mar, negro como minhas asas, bravio perdendo a luta, se recolhendo. Passo como um fantasma bem mais próximo do mar que das pessoas... Perto do local de encontro pedras fecham o caminho. Tenho de dar a volta pelo rio, que consequentemente tem um pequeno mangue... O rosto que procuro esta a minha espera. Sozinha em uma praia escura... Como achar? Cheiro de lírios. O perfume dela. Ela só não precisava ficar contra o vento...

- Está aqui o que pediu.
- Eu sei. Já conferi a moto, e se te conheço você comprou exatamente o que pedi sem mudar nada. Certo?
- Errado o celular é melhor do que o que me pediu assim como o computador portátil, e o GPS. A programação é a mesma que esta acostumada. Não...
- Certo cala a boca, veste essa roupa o resto da conversa teremos ali.
Ela aponta para uma roupa preta de mergulho e a segui para depois do quebra mar. Nos conhecemos o bastante para a nudez não nos afetar.
- Não esquece a prancha, amarra isso na perna.
- Surf a noite? Usando o cemitério como barreira de corais para ter ondas maiores e mais perigosas... Profano, arriscado e sem sentido. Gostei da idéia.

Algum tempo e braçadas depois notei que estávamos sendo arrastado para o mar, para dentro do mar. Se não ficássemos espertos e nadando seriamos arrastados... Um tanto tarde para pensar. Já estávamos depois do quebra mar.

- Você já surfou em dunas então não deve ser tão vergonhoso assim no mar.
- ... Acha que estou com alguma escuta?
- Não, só queria ver como ficava nessa roupa...
- ...
- O que sente por ela?
- Nada.
- Por que a deixou ficar? E aquele papo de só fazer amor com a mulher certa?
- Eu mudei. Deixei de dar importância para muita coisa.
- Honra os sentimentos alheios, sua vida.
- Honra não serve de nada.
- Honra só serve para os que têm coração puro. Mesmo que o seu sempre tenha sido pura maldade...
- Só se tiver um coração.
- Os sentimentos alheios... Eu sempre gostei de brincar com eles, mas você. Achava injusto, afinal você pode ler o coração de quem você tocar, ou de quem ficar muito tempo perto de você. Isso é quase um dragão lutando contra um escudeiro.
- ... Logo você falando assim. Elas querem ser usadas, tão carentes, tão idiotas procurando o príncipe encantado, inventando mil coisas para o seu pretenso príncipe e no final só precisão de um pouco de atenção.
- Prometer o céu e dar o inferno ao sumir no meio da noite e nunca mais ligar...
- Nada de mais.
- Sua vida, você nunca entraria no mar comigo em uma situação tão desfavorável como hoje. Você sabe que logo vai chover...
- Por que amanhã seria um dia melhor para morrer do que hoje?
- Tudo que é vivo luta, para se manter assim. Seja um verme ou um dragão.
- Alguém uma vez disse. "Você não morre realmente quando seu espírito se separa de seu corpo. Você morre quando para de sentir. Quando para de ser capaz de amar."
- Já está morto?
- Quem sabe.
- Então porque não se mata?
- A morte chegará. Logo. Mas antes. Há coisas que eu vou fazer. Nada realmente importante o bastante para que eu a tema.
- Não entendo.
- Uma vez me disse que me amava. Lembra. Então eu disse que não te amava. O que fez, como superou, como fez a dor passar. Se é que realmente me amou.
- Eu nunca disse que passou.
- Logo o sol nascerá. A maré ta subindo, quero tentar pegar uma onda e ir...
- Então é um amor? É por isso quem tem sido tão diferente?
- Uma vez uma mulher me ensinou o que é ser feliz, me ensinou o que é uma noite de sono. Ensinou-me magia, a entender as pessoas, me ensinou a ser o que eu sou. Ensinou-me a amar. Então eu notei que nada que eu havia vivido ou que viveria chegaria perto do que eu sinto por ela. Simplesmente sabia não como a maioria dos adolescentes idiotas. Eu realmente sei. Então ela ficou com o marido. Fim de estória.
- Fim? Esse é o inicio não?
- Já sentiu dor. Não no corpo mais na alma. A alma rasgando, o frio intenso, tão intenso que as extremidades ficam dormentes. A ponto de se encolher um canto e chorar. Esperando um telefonema, um e-mail. Qualquer coisa. Um desespero que faz um segundo virar uma eternidade...
- ... E o que fez.
- Tive certeza que ela nunca mais ligaria ou entraria em contato. Corrompi minha magia, profanei meu corpo, destruí minha bondade, entreguei-lhe meu coração e continuei a viver. Ou a morrer sem ele, sem me importar mais com sentimentos, se me importar mais com honra. Garanti que mesmo que um dia ela queira voltar. Ela se envergonharia do que sou, ou simplesmente não conseguiria entrar em contato, destruí tudo que lembrava ela, poesias, fotos, sites...
- A você mesmo.
- Ela, a falta dela não pode me causar mais dor. Eu sou melhor nisso que qualquer uma, ela só pode me causar a dor que eu permitir.E eu não permitirei mais.
- Ela não pode tirar mais nada de você porque você destruiu tudo. É isso?
- Quem sabe.
- Prefiro isso a fingir uma amizade que sei que não existi. Séria como surfa em uma poça de água. Incompleto, patético.
- Me acha patética?
- Você sabe a resposta.
A minha onda chegou, junto dos primeiros raios de sol. Uma onda perfeita.
Consegui ficar em pé. Ao menos por alguns segundos... E logo um tombo e muita água. Mas por hoje esta bom.
- Transou comigo só para se ferir?
- Sim.
A deixo com um silêncio inexpugnável. Com um silênio ensurdecedor...

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Mar

Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde.

Em algum lugar distânte. Em uma praia qualquer. Na pousada de uma velha amiga... Curtindo a arte do nada fazer... Olhando o mar da varanda... A poucos metros do por do sol...
Alguém a porta. Posso sentir o cheiro, a exitação... O segundo de espera antes de bater... Apenas abro... Adoro esses pequenos toques de magia que deixão as pessoas desconcertadas... A mulher a minha frente não esperaria menos de mim a que vem logo atras fica um pouco surpresa mas tenta não demonstrar...

- Entregue...
A mulher a minha frente da um sorriso quase irônico e se afasta... Andando devagar tentando algo escutar...
- Por que veio?
- Por que abriu a porta? Sabia que era eu... Sempre sabe...
Cara as vezes eu não sei porque fui ecolher uma mulher tão mais inteligênte que eu... Minha sobrancelha levanta... Algo quase natural meu quando ela me surpreende...
- ...
- Não sabe a reposta?
Minha mão vai de encontro ao seu rosto. Um leve carinho... Ela fecha os olhos... Parece uma menina desprotegida... Um silêncio ensurdecedor se entrpõe entre nos...
Os passos morrem no fim do corredor... Minha mão percorre sua nuca... Ela tira meus oculos... Estou cego... É quase um transe... Os olhos, o desejo. O jogo para ver quem se entrega primeiro... Segundos eternos antes do beijo... A puxo pela cintura...
...
Horas depois acordo cansado, suado, extasiado, a linda garota de olhos de jade descansa ao meu lado na cama...
...
Hora de trabalhar, afinal há mais motivos para ir a uma praia que apenas descansar... Seu braço me busca quando saio da cama... Não é hora de pensar nisso preciso de um banho...
Deixo um bilhete, mesmo achando que consigo voltar antes dela acordar... Ou quem sabe não volte...
...

terça-feira, 20 de maio de 2008

Tarde

Então tarde.
Então descanso...
Em algum lugar distânte
A praia a minha frente...
O inferno a minhas costas...

Mas por enquanto o mar esta tranquilo
Por enquanto?
Quem sabe...

Porque?
Não sei. Apenas fui para onde queria...
Mas agora?
Para onde ir?
QUEM SABE?

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Teto não familiar Fim?

Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde. Mas não há poesias ou motivos para ler... Não vale a pena ler se não ler antes o Teto não Familiar 1 e 2

- O que há para falar...?
- O fato de você não me amar e mesmo assim vim comigo. Eu ter dito não, quando me pediram em casamento... E mesmo agora você diz que não me ama, que não quer nada sério comigo?
- Não pedi para recusar? Nunca disse que queria algo sério. Nunca disse que ficaria com você. Se você dissesse sim... Eu só me envergonharia de ter te conhecido...
- ...
- ...
- E agora, o que será, como ficamos.
- Agora eu vou embora e você vai decidir... Se vale a pena ficar com alguém que não te ama... Com alguém que você sabe que pode te fazer feliz... Quando tiver a resposta me procura...
- ...

Estou indo... Você realmente precisava morar no 6 andar?
Foi penoso terminar de me vestir. De ir acariciar seu rosto antes de virar as costas... Antes de saltar pela janela...

Ps: Para ela aparentou que eu saltei direto. Na pratica eu saltei pro quinto andar, depois pro quarto e assim foi, mas se vocês não foram explicar isso para ela quem dirá eu...

Antes de dar por mim já estou em frente a moto... A chave esta na ignição... Tá aquela estória de bêbados e loucos terem sorte deve ser verdade... Diferindo da maioria dos brasileiro... Pergunto para o vigia como chegar a BR116

Vento no rosto, uma conversa indigesta para acordar, para variar sem capacete e acima dos 120km/h. Uma BR a minha frente... Uma moto a minha disposição...

Estou sozinho... Sob o pneu da moto um dragão corre tão rápido como o vento.
Sombras, dor e solidão... Quem sabe isso combine melhor comigo...
Quem sabe...
Agora fazem alguns dias... Não tenho falado com ela... O que ela decidiu... O tempo vai dizer... Acho que não me importo, não o bastante para liga... Não o bastante para verga...

Teto não familiar 2

Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde. Mas não há poesias ou motivos para ler... Não vale a pena ler se não ler antes o Teto não Familiar 1

Sexto andar. Bem da para pular para a varanda do quinto andar e de lá para a do quarto...
Era o pai dela que era militar aposentado ou era o de outra?
Não lembro... Vozes no corredor... Bem, café da manhã em família ou arriscar o pescoço em um fuga?

Ela ainda não acordou...
Droga lembrei o que...

- Oi. Porque sempre que some... Você vem pra cá?
- O mar me acalma.
- O que faremos agora.Vai me pedir em namoro? Dizer que me ama?
- Não sei. Quer mesmo que eu responda... O que prefere uma doce mentira ou a áspera verdade?
- A verdade
- Não te amo. Mas sim te quero. Te desejo...
- ...
- Ficar com alguém que não te ama é opção sua.
- ...

Três pessoas se aproximam. Fedem a medo. Dois homens, uma mulher... Estão armados. Vão tentar algo.

A garrafa se parte na cabeça do primeiro. Ele sangra muito. O segundo... Uma, duas, três, o antebraço dele esta quebrado em quatro partes. Olho para garota enquanto quebro o pé do segundo. Ela sai correndo... O primeiro acerta minha nuca. O mundo gira vou desmaiar. Jogo o segundo no mar. Ficar, me assaltar, me matar ou salvar o comparsa?

Acordei aqui.

De todo jeito vai ser uma bela escalada. Mas onde será que esta a chave da moto...

- Acha que vai sair sem falar comigo?

Texto inacabado

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Teto não familiar

Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde. Mas não há poesias ou motivos para ler...


Sério. Lembrar de não beber tequila sozinho. Afinal onde eu estou?
Olhando para um teto que com certeza eu nunca vi antes...
Dormindo espremido em uma cama de solteiro ai... Sério as costelas estão doendo.

Ao olhar no espelho o despertador toca.
Sério quem é que acorda escutando Black Sabbat ai a cabeça doi

"I am ironmam"

Ai acho que dessa vez me meti com uma doida. Ela tem posters de bandas de rock no quarto? Sério se um caminhão tivesse passado por cima de mim eu estaria com uma cara melhor

Ele foi transformado em aço
No grande campo magnético
Quando ele viajou no tempo
Pelo futuro da humanidade


Tomo um banho, refaço o curativo, imagens da noite começam a retornar. Lemro da ponte. Lembro de uma briga. Lembro de uma despedida...

Puxo calmamente o lençol

O Tempo é agora
Para o Homem de Ferro expandir o medo
Vingança vinda da tumba
Matando as pessoas que um dia salvou


A surpresa ao menos é agradável. Olhos de Jade.
Só não sabia que tinha falado com ela ontem, nem que ela sabia dirigir moto,muito menos que ela gostava de Black Sabbat...

Sério bem o quarto parece dela. E se eu me lembro ela mora com os pais? Bem, hora de sair pela janela. Puuuts ela mora no 6 andar

Texto incompleto

terça-feira, 13 de maio de 2008

Frio

Então só
Não mais com você
Então me deixa ir
Então não sabe se ainda me quer

Se me importo
Não.
Se te quero
Talvez
Se te desejo
Sim

O que fazer se não posso escolher te amar
O que fazer se já tenho dona
O que fazer se fui rejeitado
O que fazer se quero te amar...

O que fazer... Sim eu sei um dia vou te abandonar...

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Saber

Acordar ao seu lado
Estranha sessação...
Seu copo colado ao meu
Seu respirar na minha nuca

Sua mão em meu peito
Seu entrelaçar em minhas pernas...

Sua mão me busca ao me distânciar

Mas ao acorda não é você que eu busco
Não é seu rosto que me visitou em sonho
Estou sozinho. Não importa quem esteja em minha cama
Não será você
Não importa quem possa me amar
Só serei feliz quando encontar aquela que amo
Aquela que sei que és você

Chuva

Uma garota sentada na calçada, um vestido de festa, um corte no ombro, uma chuva cruel. Como quem chora, como quem espera... Um motoqueiro vindo devagar, encharcado, cansado. Bravio...

- A noite não lhe foi gentil senhorita?
- Só o que me faltava um idiota para me dar uma cantada barata...
Tiro a capacete...
Um misto de sorriso e raiva, quem sabe furia e desejo...
- Esta atrasado.
- Me disseram que seria as 22:00
- Foi as 20:00.
- Disse sim?
- Se tivesse dito sim estaria na calçada tomando banho de chuva?
- Sobe na moto.
- ...

Uma casa de serra.
Uma lareira acesa.
Um vinho
Dois corpos nus.

Desejo, carinho, sexo
Amor?
Quem sabe.

Ela acretida que sim
Eu tenho certeza que não


Agora ja é de manhã. Minha insônia vem me visitar.
Um cigarro. Minha solidão. Alguém que acha que me ama ainda dorme...
Por mais que me force, não consigo ligar para o que ela sente.
Por mais que queira não consigo me importar...
Não a amo, provavelmente apaixonado, nada mais.
O corpo cansado, a mente torpe...
Brincando com os sentimentos...
Buscando a noite...
Quem saiba eu só não saiba para onde ir
Quem saiba eu apenas não tenha forças para ir...

Como diria o philosopho
A sua liberdade termina onde começa a de alguém mais forte...

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Indecisão

Então...
Lutar ou recuar.
Ficar ou partir...
Arriscar ser humilhado
Ou a certeza de ser despresado?

Não sei...
O melhor seria deixá-la errar
Mas não quero ensinar...
Quero fazê-la feliz.
Quem sabe ser...

O estranho é que normalmente defendo a teoria de que se não for forte o bastante para ficar comigo por vontade não vale a pena, mas por algum motivo sou impelido a lutar... Mesmo que seja um paradoxo...

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Decisão

Não ler
Apenas um relato de algo que talvez queira lembrar mais tarde. Mas não há poesias ou motivos para ler...

Pensando seriamente em parar de beber, o relógio marca 14:30 e o sol ainda faz minha vista doer. Acabei de acordar, a tequila ainda mostra seu gosto em minha boca... A noite me volta em pedaços desconexos... Meu peito ainda manchado de sangue, meus punhos ainda dormentes, minha mente ainda demente. Não sabia que era possível se acordar ainda bêbado...

Uma banho, a agua toca minha pele como farpas de gelo, mas o frio não vem da agua, quem sabe de algo que faz falta... Alguém bate a porta. Sério, espero que seja importante.
Uma visão interessante, Pele bronzeada, olhos castanhos claros, 1,80 de mulher, aparenta 25 anos, mas a postura diz que é mais de 30. Simplesmente linda, vestido preto semi transparente. Se fosse católico, eu diria que Deus esta de bom humor e olhando pra mim e dizendo, hoje é teu dia filho. Mas eu não acredito.

-Lobo?
Ela me olha de um jeito estranho como se medisse cada palavra...
Tá o fato deu não ter me enxugado direito e estar de calção curto sem camisa deve ter algo a ver.
-Sim. O que deseja?
-Podemos falar um pouco.
Bem, a ultima coisa que eu pensei em fazer com ela era falar, mas cara sério eu não acredito em Deus mas começo a não duvidar da fé...
-Entre.
-Se for quem eu penso que é. Talvez te interesse saber que vão pedir a mão dela em casamento próximo domingo, Aqui está o nome do restaurante. Ele tem reserva para as 22:00.
Eskece, aquela história de acreditar...
- Qual mesa?
- Todo o restaurante foi reservado.
- Uma festa?
- Não uma prova de dinheiro, ele vai fechar o restaurante e chamar a banda favorita dela para tocar.
- E porque você esta aqui?
- Ele é mais alto que você, tem olhos claros, mais bonito e com certeza mora em um local bem melhor. E quase acabou com ela uma vez. É o cara que ela acha que ama.
- Por que esta aqui?
- Por que desde quando a conheço esse tempo que ela passou com você foi a primeira que ela foi realmente feliz. Porque ela acha que ama aquele cara mas na verdade ama a outro. E á capaz de ficar noiva dele só para provar que não esta errada.
- O que acha que eu farei?
- Não sei. Pensei que você estivesse apaixonado por ela.
- Deixa eu adivinha, gorda, velha e se importando assim com ela. Samanta?
- Talvez. Se ela ficar com ele. Ela será infeliz.

Com essas palavras ela foi embora.

Tá a ultima era casada essa tá pra virar noiva. O dedo podre pra escolher mulher e pior ainda para escolher hora para se declarar. Depois quando alguém decide ser insensível e cruel o movimento feminista cai de pau.

De todo jeito a decisão ja foi tomada, mas ainda me falta compreênder o porque?
Porque deveria ir impedila. É provavél que ela tenha me usado como distração ou como meio de fazer ciumes no cara desdo inicio então porque ir?
A pergunta paira sem resposta...

Agora é melhor parar de escrever... Quem sabe seria hora de agir? Quem sabe...

Ilusão

Então a verdade
Então as palavras não me faltaram
Então elas me trairam.
Sim... Estou apaixonado

Seus olhos brilharam
Seu coração disparou
Então tristeza em seus olhos
Então um silêncioso ir
...
Estou esperando no silêncio uma resposta que insiste em não vir
...

terça-feira, 6 de maio de 2008

Olhos de jade

Então apaixonado...
Então novamente enamorado...
Mas porque sempre tem que ser tão complicado
Por que?

O que era carinho virou algo mais
O que era sexo, virou amor...
O que era amizade,
Agora é de uma cumplicidade e eu ja não seio que...

Então o que fazer... Sim terminará...
Cedo ou tarde é uma paixão...
Eu sei... Ela sabe...
Mesmo assim vamos de encontro um ao outro...

Porque?
Solidão, carência, carinho, desejo...
Sei lá...
Sei apenas que não quero resistir a seus olhos de jade

sábado, 3 de maio de 2008

Carinho

Então seus olhos verdes em mim
Então meus olhos nos seus
Então carinho
Quem sabe um toque

Então deitados juntos
Então carinho
Não há a obrigatoriedade do amor...
Mas sempre do carinho


Texto inacabado

terça-feira, 29 de abril de 2008

Futuro

Pesadelos vem me encontrar...
O futuro vem me mostrar
Como pingos dágua formam um rio
Noças ações formam nosso destino...

Não foi coincidência...
Foi apenas inevitável devido a suas escolhas
Minhas ecolhas...

Me vejo daqui há alguns anos...
Uma filha linda... Olhos verdes comos os da mãe
Pele morena como a minha.
Eu escolhi o caminho mais fácil...
Alguém que me ama, mas a quem eu nunca disse "te amo"

Escuto o telefone tocando...
Me vejo ajoelhando pedindo perdão.
Me vejo levantando e dizendo adeus...
Me vejo abandonando minha familia...
Me vejo deixando tudo... Ainda por você...
Mesmo sabendo...
Mesmo não sabendo...

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Caminho?

Hoje quero sair
Não sei se daqui
Ou de mim, não sei

Hoje quero sair
Quero cair
Perder a conciência
A existência a oniciência...

Quero apenas cair...
Eternamente e nunca mais sonhar...

terça-feira, 15 de abril de 2008

Sonhos Fim?

Ao menos dessa vez estou na praia negra...
Sem o fetido cheiro da cidade ao meu redor...

Sem ritmo
Sem conciência
Sem intenção assassina

-Não há como recuperar laços que foram perdidos
Você escolheu vá...
Tudo que posso fazer é contnuar !
-Não me quer aqui?
Já avisei duas vezes.




Não há mais nada a dizer... Hoje ficarei com seu braço... Se Não for agora...

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Vento Negro

Pode ter sido culpa da chuva....
Mas parecia que lágrimas
Estavam fluindo infinitamente de mim

Mas depois de chorar então
Eu senti como se não tivesse mais lágrimas
Que chorar não vai me fazer esquecer
Meus erros no passado,
Tristeza, ou meus sentimesntos por...
por...
...
..
.

Que se DANE... SOPRE
VENTO NEGRO
MATE A TODOS DRAGÃO NEGRO

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Caminho e descaminho

De volta a cidade, de volta a sonhos que nada me dizem

-Não importa o que você diga.
Eu ja derra,ei ,imhas lágrimas
Meu sangue já esfriou
Eu não vou pedir permissão
Eu não preciso de ajuda
Não há volta depois de ter começado
a unica coisa que deixei em meu caminho
foram incontaveis corpos
A estrada à minha frente só pode levbar ao inferno

-Eu queria que mais e mais chuva caisse
Para lavar minhas lágrimas e afogar meus gritos

-Seu jeito de ser feiticeira é
Arrogante, Brutal,

-Inocênte de forma chocante

-E apenas... Apenas
Linda

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Nada

As vezes não se é nada alem de ossos e carne
As vezes...
Sem respostas nem perguntas
Sem intenção nem ação
Apenas largado a inercia dos fatos
Apenas largado a solidão
a infelicidade conhecida
da burocracia de nossos dias sem vida...

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Sonhos Cidades decadentes


O desafio dos antigos irmortais continuará pelas noites da ethernidade

Mais uma vez sonhando, odeia não ter mais o dragão de prata em meu pescoço ele sempre me acordava em horas como essa... Antes a isônia que a verdade...

-Escuto sua voz em uma noite sem descanso
Queria apenas esquecer
Queria apenas um pouco mais
Sem me importar se tudo é mentira
-Ninguém tem razão, ninguém confessa que estava errado...
-Você não pode mais ver o sonho que desejavamos!?
Sorte sua...
Ainda posso sentir minha alma em suas mãos...

sábado, 29 de março de 2008




Então outro sonho. Estou de novo na cidade destruida...
Então outra vez uma sombra atravessa meu caminho. Outra vez uma feiticeira...

- Quanto tempo vai fingir que esqueceu?
- A dor de um coração partido?
- As coisas que você não pode esconder nesses seus olhos. Sua luz na noite...
- Quem você quer ser? O que você quer ver? Não preciso ser salvo. Sou aquele que nada teme, que nada ama..
- Eu estava dormindo , mas as batidas do seu coração me acordou
- Deve estar enganada feiticeira. Eu não tenho coração...

quarta-feira, 26 de março de 2008

Ainda quero...
Ainda desejo...
Ainda preciso...
Amo...

Prefiro arrancar meus olhos...
A chorar...
Prefiro voar a deixar meus joelhos dobrar...

As vezes olho para meu reflexo no mar...
As vezes vejo apenas...
Orgulho e solidão...

terça-feira, 18 de março de 2008

Kaze

Novos caminhos
Novos horizontes
Novos por do sol

Quero novas histórias
Novas confusões
Que seja até o amanhecer
Que seja até o entorpercer

Sem passado
Sem destino
Voando com o vento...
Asas feridas.
Mas sempre extendidas

sábado, 15 de março de 2008

Soilidão

s.f. Estado de quem está só, retirado do mundo; isolamento
Mas eu diria algo mais...

Solidão é estar cercado por pessoas que lhe chamam de amigo...
E que você chama de colegas.
É estar entre família e notar que não os ama, ou mesmo se importar em estar ou não lá...
Estar é uma mera obrigação econômica... Mesmo que eles o amem
É ter três pessoas a quem chamar de amigo. Quando...
Um estar morreu acreditando que você o traiu.
Segundo o teme tanto que não o busca mais...
A terceira. Ensinou-lhe a ser o homem que é. Aperfeiçoou sua alma, sua mente, seu caráter, ou a falta dele no caso. Lhe traiu miseravelmente e a ainda sim saber que minha mera presença destruiria o que ela chama de vida... Então minha escolha é a distância e o silêncio...
É fazer amor com a mulher que ama...
E a ver ligando, depois do orgasmo ainda na cama, ainda suada, ainda ofegante, para o marido dela e dizê-lo que o ama.
É saber que você é o único que consegue a fazer feliz... E mesmo assim ela escolher a família...
É escutar alguém falando.
Cada pessoa que nos ama nos faz feliz a sua maneira. Quando sei que isso não passa de ilusão...
Solidão. É saber a verdade. E saber que ninguém a aceita...
Que mesmo os raros que a consegue ver. Preferem doces mentiras ou irresistíveis omissões.
Solidão... É não se importar mais com qualquer um... É não se importar nem mesmo com você.
Solidão é buscar algo que ama em seu peito e só encontrar poesias, a Lua e quem traiu seu coração...

quinta-feira, 13 de março de 2008

Só...?

Então só...
Então sem destino...
Então ao sabor do vento
Do tempo... Sem saber o momento

Então...
Brumas a minha frente...
A batalha perdida a minhas costas...
Apenas o vento a falar...
Apenas a lua a me guiar...

Como sempre fiel a minha solidão...

Sou um mero trovador. A qual a vida destinou apenas duas damas
A morte... Minha noiva
E minha amante a solidão....

terça-feira, 11 de março de 2008

Todos

Alguém uma vez disse.
Ninguém pode mais me machucar, Ninguém tem mais a capacidade de me fazer mal porque eu faço isso melhor do que todos...

Por isso destrui o que amava, por isso destrui minhas poesias... Um pedaço da minha história da minha alma...

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Vento

Um gelido e cortante vento insiste em corta minha alma
Um tenebroso destino perante meus olhos
Um cheiro de solidão
Com um que de vastidão...

O vento sempre não protege suas crias
Apenas os leva para onde seus desejos mandam
Ele não se importa com a dor de suas crias
Apenas com a liberdade

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Livros

Relendo e lendo coisas novas... Uma autora em especifico me encanta, as vezes me enoja, me facina e atrae meu odio...

Sem dúvida houve, no passado distante, pessoas que tinham visões e falavam com
espíritos. E talvez, como bruxos ou xamãs, essas pessoas tivessem algum valor para
suas tribos ou nações. Mas religiões complexas têm sido fundadas sobre essas
experiências tão simples e enganadoras, dando nomes míticos a vagas entidades,
criando um enorme veículo para uma crença supersticiosa global. Essas religiões
não fizeram mais mal do que bem?
Anne Rice - Rainha dos Condenados

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Dia 28

Chato eu diria. Lento, malas sendo arrumadas, viagem a tarde. Passar o reveion em família, o que para muita gente é divertido para mim é um tédio. Mas esse pretendo passar sozinho. Ou melhor, apenas com uma presença ausente.
De interessante apenas a cara de assustado do meu primo a me dizer que havia uma loira suspeita na cidade rondando caçando um moreno de Fortaleza que atendia por Nascimento... A cara do tio estava preocupada, mas sempre achei que ele se esquentava muito com os dois sobrinhos...
Depois de um argumento muito forte acabaram me convencendo a ir a farra, sabe como é
Tio – Tenho 3mil para torrar em farra e só me resta 4 dias. Meu sobrinhos preferidos querem me ajudar?

Esse é um argumento foi muito convincente... Alem de um preparado de caldo de cana fermentado com água de coco que ficou pronto no dia da chegada e estava afim de preparar alguma coisa interessante com ele, mas na casa do pai do Guto não dar para beber em paz, não com a senhora minha mãe por perto.
Primeira noite de caça...
Saída as 10 acho, essas férias o pai Guto liberou o carro para o irmão, ou seja, para a farra. Primeiro Mundau, praia linda com uma pequena vila de pescadores e uns barzinhos interessantes. Para começa a noite Tequila e uma surpresa interessante, acabei encontrando alguns conhecidos da UECE e até uma italiana, olhos claros 1,70m de mulher de curvas suaves, gosto refinado e sensualidade, conhecida há alguns anos... Apresentei a moça a família (os Augustos, tio e primo). Eles deram o preparado de caldo de cana. Não demorou muito ela já estava muito liberal e acabou saindo com os dois...
Muita tequila, cerveja, peixe frito e farra depois o povo da UECE me deixou em Trairi há uns 40km de Mundau... Então o telefone toca...

Guto – Ei tu ainda anda com glicose?
K – Sim, na bolsa por quê?
Guto – A loirinha. Ta dormindo há um tempo e não acordou...
K – E?
Guto – O tio disse que ela precisa de glicose na veia e você é o único louco que anda com isso sempre a mão.
K – Quase sempre, tem na mochila azul ela ta lá no vô.
Guto – Ok, vamos lá falou...

Bem, a glicose ta no bolso da calça. Mas como também tem na mochila, deixa eles irem lá. Quero ver a desculpa que eles vão dar para o vô...
Quero cama, ou melhor rede.
Ps: Lembrar de não armar mais a rede na cozinha. O armador fica em um local de visão privilegiada para o banheiro e a irmã do Augusto esta com mania de tomar banho com a porta aberta, não me pergunte como eu descobri.